• Dicas de Poupança

10 Dicas para comprar a primeira casa


Uma casa é algo essencial e vital para todos nós. É um objetivo de vida. A compra da primeira casa é um momento altamente emocionante, que culmina com a chave da realização de um sonho. E se pudesse ter acesso a um conjunto de Dicas para que o processo seja o mais tranquilo possível e não se torne num verdadeiro pesadelo? Então este artigo é para si!



A compra de uma casa é uma das maiores decisões que temos de tomar. Principalmente, para quem está a comprar a primeira casa. Não é a mesma coisa que comprar uma peça de roupa ou decidir entre uma refeição fora ou em casa. Porque para muitas pessoas acontece uma ou duas vezes na vida. Como tal, deverá ser uma decisão muito bem pensada, ponderada e planeada. Acima de tudo, o mais importante é informar-se e não se precipitar na hora de fechar o negócio. Existem várias opções que deverá ter em conta antes de tomar a decisão final. E porque planear é o passo mais importante, neste artigo iremos deixar-lhe algumas Dicas a ter em consideração, nesta importante etapa da sua vida!



1. Momento ideal para a compra de casa


O mercado imobiliário é alvo de várias oscilações, fruto da lei da oferta e da procura e da própria conjuntura económica. Por exemplo, em determinados momentos os bancos estão mais propensos a conceder crédito do que noutras alturas. O próprio valor dos imóveis não é constante e existem momentos com valores mais interessantes. A EURIBOR poderá ser mais favorável em determinados momentos.


Na hora de opta por comprar a casa, pese todos esses fatores, relacionados com os custos do crédito à habitação.


2. Pense a longo prazo

Tendencialmente, a compra da primeira casa destina-se a habitação própria permanente. Como tal, é provável que quando a compra não está a pensar em vendê-la ou no que irá acontecer no futuro.


No entanto, quando compra uma casa, deverá também pensar a longo prazo. A vida muda com muita facilidade, e se se ponderar variáveis futuras (como o nascimento de filhos, por exemplo), poderá satisfazer as suas exigências atuais, e também pensar em algo que o possa servir no futuro.



3. Considere a dimensão

A ideia é pensar-se que quando maior for a casa melhor. Principalmente se o preço for idêntico a outra com dimensões mais reduzidas.


Na verdade, parece ser uma excelente opção comprar uma casa ao mesmo preço e com uma área maior. No entanto, uma casa grande pode ter implicações maiores no seu orçamento mensal e desequilibrar as suas despesas (mais gastos com decoração, eletricidade,...).


Por isso, antes de pensar que lhe saiu a "sorte grande", considere se a dimensão se enquadra naquilo que pretende e, principalmente, se as divisões são funcionais e se adequam às suas necessidade atuais e futuras.



4. Arrendar a primeira casa

Os planos podem mudar ao longo do tempo, e poderá vir a querer arrendar a casa. Nesse sentido, se optar por localizações onde as zonas são mais procuradas para arrendar, já irá estar um passo à frente.

É possível, liquidar o segundo crédito à habitação com o valor da renda da primeira casa. Aqui, deve ter em atenção que as condições do crédito são diferentes e mais penalizadoras (normalmente o spread é mais elevado e o prazo de financiamento permitido é mais reduzido).


5. Informe-se sobre eventuais incentivos e ajudas


Geralmente, existem vários programas de auxílio à compra da primeira casa (normalmente, privilegiam mais o arrendamento). Informe-se se estão em vigor algumas medidas de estímulo à compra de casa na localização que pretende.


Uma das medidas que costuma apoiar neste processo é o Programa Porta 65, que se destina a jovens até aos 35 anos de idade e com baixos rendimentos. Em termos processuais, é dada uma percentagem da renda aos candidatos aprovados, pelo período de 12 meses, renovável até atingir os 60 meses.


6. Encontre o melhor crédito habitação

Geralmente, quem precisa de um crédito habitação, a primeira coisa que faz é dirigir-se ao seu banco. E sem dúvida que é uma forma de começar o processo. No entanto, com tantas opções que existem no mercado, será que o banco onde temos conta há vários anos é o que naquele momento oferece as melhores condições?


A nossa Dica é que escolha analise várias opções e escolha a melhor solução para si. Não só porque tem uma longa relação com aquele gestor bancário onde tem a sua conta há vários anos, mas aquela que lhe faz poupar (tantas vezes) milhares de euros em juros.

Peça simulações e compare a TAEG, o MTIC e o SPREAD. E escolha aquela que realmente é a melhor opção para si.


7. Atenção às taxas de juro

Sobre as taxas de juro, pode optar por uma taxa fixa, uma taxa mista e uma taxa variável. O Dicas de Poupança não lhe vai aconselhar a escolher esta ou aquela. Não temos uma bola de crista e como tal, não há forma de saber qual é a mais indicada para si. Portanto, desconfie de quem lhe diga para escolher fixa, variável ou mista.


Aquilo que lhe pudemos dizer é que uma taxa variável, irá estar sujeita às flutuações do mercado e quando a EURIBOR aumenta, irá pagar mais pelo seu crédito habitação. Já quando a EURIBOR diminui, irá pagar menos pelo seu crédito habitação. Quando escolhe uma taxa fixa, irá pagar o mesmo valor ao longo de todo o seu crédito, no entanto, o valor inicial será mais elevado do que se escolher uma taxa variável.


A nossa Dica é que escolha uma taxa de juro que se adapte às suas necessidades e preferências. Se quer pagar menos agora, irá consegui-lo com uma taxa de juro variável. Se quer evitar surpresas e flutuações, irá consegui-lo com uma taxa de juro fixa.


8. Considere uma poupança

Ter o chamado "pé de meia" é algo que parece ser sempre uma boa opção. Imprevistos acontecem e estar prevenido é sempre melhor para fazer face à incerteza.


Como não pudemos prever o futuro, nesta etapa da vida como a compra da primeira casa, é interessante investir numa poupança e amealhar algum dinheiro, antes de dar este grande passo. Caso aconteça alguma fatalidade, terá sempre essa poupança que o pode proteger.


9. Procure um especialista imobiliário

Fazer sozinho é uma opção para quase tudo, sabendo que isso acarreta maiores riscos, imprevistos, tempo, burocracia e stress.

Ter alguém a trabalhar para si (e de forma gratuita) que o ajude e aconselhe em todo o processo parece ser uma excelente opção.


A nossa Dica é que recorra a alguém que é especialista nesta área. O Dicas de Poupanças está disponível para o ajudar. Caso queira recorrer a serviços de mediação imobiliária, entre em contacto connosco, que temos toda uma equipa de especialistas na área.


10. Esteja atento a leilões


A nossa ultima Dica é que esteja atento a imóveis de leilões da banca e das finanças. Poderá não encontrar exatamente o que procura, no momento desejado e na localização pretendida, no entanto, também pode conseguir. A nossa sugestão é que esteja atento às oportunidade que possam aparecer.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo