• Dicas de Poupança

6 Dicas como acabar com as comissões bancárias e poupar muito dinheiro?

Ter uma conta bancária parece ser quase como que obrigatório em Portugal. Se não veja-se, por exemplo, o caso de estar numa situação de desemprego e como irá receber o valor do subsídio...por transferência bancária. Portanto, é difícil evitar algum tipo de conta bancária. Neste artigo, queremos trazer-lhe algumas Dicas de como poderá reduzir as despesas com a conta bancária, as designadas comissões bancárias. No final do artigo, será capaz de descobrir quais são as que lhe podem estar a ser cobradas e como evitar ou reduzir algumas delas.


Antes de mais, o que são comissões bancárias?


De uma forma muito genérica, as comissões bancárias são o valor que os bancos cobram pelos serviços que prestam, ou seja, é o preço por ter o seu dinheiro no banco, para que ele lho disponibilize sempre que queira.


Independentemente de movimentar o seu dinheiro ou não, as comissões bancárias são cobradas na mesma, reportando a um determinado intervalo temporário. Portanto, se nem sequer realiza operações, basicamente só estará a pagar para lhe guardarem o dinheiro! Assim, para quem quiser poupar em comissões bancárias, é importante dar alguns passos. Fique a conhecê-los a seguir.


E que comissões bancárias existem?


Apresentamos de seguida as principais comissões bancárias suportadas pelos consumidores portugueses:


Comissão de manutenção de conta

Esta é provavelmente a comissão das comissões e aquela que é mais comum. E não é mais do que a comissão que é paga periodicamente (geralmente ao mês) e que é paga pela manutenção e/ou gestão da conta. Neste caso, paga a comissão para manter a conta ativa, independentemente dos movimentos que faça.


Cartão de crédito

O cartão de crédito poderá ser um recurso interessante na hora de recorrer a um crédito com um determinado plafond associado. No entanto, os juros dos cartões de crédito tendem a ser muito altos e tenha atenção que mesmo que não utilize o cartão, poderá ter de pagar uma comissão, referente à anuidade do cartão. É possível não pagar esta comissão junto de alguns bancos, ou caso ainda outros que isentam desta despesa se fizer compras com o cartão acima de um determinado montante.


Cartão de débito

Estes são aqueles cartões que vulgarmente são chamados de "cartões multibanco" e que são os que usamos no nosso dia a dia para pagarmos as várias compras que fazemos. Aqui, também deverá ter em atenção a anuidade que terá de pagar com esse cartão. A anuidade é devida, independentemente do maior ou menor uso que faça do cartão. Por isso, equacione se precisa mesmo desse cartão de débito.


Transferências interbancárias

As transferências bancárias são as operações em que damos uma instrução ao nosso banco para que este envie dinheiro da nossa conta para outra conta de destino. Se essa ordem for realizada ao balcão, irá ter um custo associado, independentemente da conta de destino. Para evitar estas despesas, verifique se o seu banco cobra despesas por transferências online. Dependendo do pacote que tiver associado, essas transferências poderão ser gratuitas. A melhor alternativa continua a ser mesmo fazer as transferências numa rede de caixas multibanco, onde as operações continuam a ser gratuitas.


Cheques

Os cheques têm caído um pouco em desuso, pelo menos entre particulares. No entanto, tenha em atenção que os cheques são pagos. Novamente, poderá ter um pacote que tenha incluído um determinado número de cheques de forma regular. Caso contrário, tenha em atenção que se solicitar um livro de cheques, irá pagar uma comissão.



Então o que posso fazer para pagar menos comissões bancárias?


Analisar as opções

A primeira coisa a fazer e é bastante óbvia é analisar a sua situação concreta. Por um lado, compreender as suas reais necessidades e, por outro, analisar exatamente aquilo que tem contratado. Os bancos não são todos iguais. E nenhum banco é o mais competitivo em todas as situações. Assim, deverá fazer uma análise cuidada e perceber se para a sua situação em concreto, o seu banco atual é que melhores condições oferece. Se não tiver grandes necessidades de serviços bancários, escolher um banco que funcione em regime online, poderá ser uma boa escolha, já que as comissões tendem a ser menores.


Recorra aos serviços homebanking ou multibanco

Habitue-se a recorrer a serviços de homebanking ou através das redes de multibanco, já que os custos bancários, nomeadamente ao nível de operações com transferências, são nulos ou substancialmente reduzidos quando feitos através destas vias. Isto é possível, porque os bancos conseguem reduzir largamente os seus custos com as redes de balcões e os consumidores beneficiam de serviços mais baratos, ou mesmo sem custos.


Domicilie o ordenado

A maior parte dos bancos procuram fazer com que os seus clientes domiciliem o seu ordenado, pensão ou outro rendimento fixo no banco. Por esse motivo, ter uma conta ordenado domiciliada pode ajudar bastante a poupar nas comissões bancárias. Além disso, quando necessitar de recorrer a algum tipo de crédito, o facto de ter a domiciliação da conta ordenado, irá ajudá-lo a ter benefícios adicionais.

Vários bancos oferecem vantagens substanciais na forma de corte nos custos bancários, tais como comissões de manutenção de conta. Por isso, o ideal é que esteja atento ao que o mercado está a oferecer ao nível de cortes nas comissões bancárias e aproveitar para poupar.


Contas promocionais

Sempre que possível, opte por contas promocionais. Existem diversas opções para determinadas franjas da população, como por exemplo as contas jovens ou de estudantes, que estão isentas do pagamento de comissões bancárias.


Pacotes promocionais

Esteja atento aos pacotes promocionais, porque podem ajudar a conseguir algumas bonificações com comissões. Exemplo disso, é a contratação de alguns cartões de crédito, que podem levar a bonificações em comissões, nomeadamente na comissão de manutenção de depósito à ordem. Fique atento e poderá ser interessante para si aproveitar estas bonificações, principalmente se tem a necessidade de ter um cartão de crédito.


Corte com o uso de cartões de crédito

Dificilmente optar por um cartão de crédito é uma boa escolha. Vimos atrás que alguns cartões podem trazer bonificações associadas. No entanto, o ideal é sempre evitar os cartões de crédito a todo o custo! Para que equacione sequer o uso de um cartão de crédito, tenha em especial atenção que este tem de reunir um conjunto de características, para que não seja altamente penalizador para si. Assim, opte por um cartão de crédito com isenção de anuidade, com um taxa de juro competitiva, com seguros associado gratuitos e, se possível, com descontos e ofertas associadas. Claro que conseguir tudo isto poderá não ser tarefa fácil! Nesse caso, opte por aquele que reunir o maior número possível destas características.


Existe a possibilidade de ter acesso a um conjunto de serviços mínimos bancários (tais como a detenção de um cartão de débito, a possibilidade de movimentação da conta através da rede multibanco ou de homebanking, realização de transferências interbancárias, etc.) a um custo mais reduzido do que o normal. E se depois de analisar quais são as suas necessidades concluir que precisa de mais serviços do que os da conta de serviços mínimos o melhor é analisar a oferta dos vários bancos e comparar preços.

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo