• Dicas de Poupança

6 Dicas como baixar as Prestações Financeiras?

Independentemente da conjuntura económica do momento (quer estejamos perante um período de maior ou menor prosperidade económica), o valor das prestações mensais é sempre algo a ter em consideração. Obviamente, quanto maior for a pressão para a baixa dos rendimentos das famílias, maiores serão as preocupações com os encargos financeiros mensais. Não obstante, pagar menos pelas prestações mensais é sempre importante no orçamento familiar. Neste artigo iremos dar as principais Dicas para baixar essas prestações mensais.


1. Faça uma análise aos seus extratos

Provavelmente, ver o seu extrato bancário é algo que já faz regularmente. O que sugerimos é que faça uma análise cuidada do mesmo. É possível que encontre um conjunto de despesas que possam ser reduzidas ou eliminadas. Ao usarmos cartões ou débito direto para fazermos os pagamentos, acabamos por não ver o dinheiro a sair da conta. Isto, normalmente, faz com que gastemos mais. Além disso, se fizer uma análise cuidada, poderá estar mais atento a algumas comissões que são cobradas e que poderá eliminar completamente, através da negociação com o banco ou através da mudança de banco.



2. Faça uma análise ao seu orçamento


Tem o hábito de analisar o seu orçamento ou vai gastando o rendimento disponível à medida das necessidades até acabar? Já fez o exercício de colocar numa coluna os ganhos e noutra coluna as despesas? Se não tem o hábito de fazer este exercício poderá ter uma verdadeira surpresa da forma como gasta o seu rendimento. Será que alguma dessas despesas possa ser negociada? A nossa Dica é que experimente e preste atenção onde anda a gastar o seu dinheiro.



3. Pague os Seus Cartões de Crédito


Tem cartões de crédito? Os cartões de crédito podem ser uma salvação em alguns momentos e um verdadeiro pesadelo noutras alturas. Se não tiver controlo no uso de cartões de crédito, a nossa sugestão é que os corte e acabe com eles de vez. É um dos produtos mais apetecíveis dos bancos, porque o que cobram em juros é assustador. A questão dos cartões de crédito é que se não forem pagos a 100%, implicam taxas de juros brutais a cada novo mês que passa e que tem um valor a descoberto. A nossa Dica é que com a poupança gerada nos pontos anteriores acabe com os seus cartões, começando naqueles com a taxa de juro mais elevada. Quando pagar o primeiro cartão, deverá utilizar o valor que deixou de pagar para pagar a dívida do segundo cartão e assim sucessivamente até se livrar de todos os seus cartões.



4. Cartão de crédito vs crédito pessoal


Muitas vezes optamos por uma solução de cartão de crédito por ser mais fácil obter e por ser menos burocrático. O que acontece é que depois pagamos a pesada fatura dessa opção. Um crédito pessoal é uma solução muito mais interessante, face a um cartão de crédito, quer pela segurança do plano de pagamentos, quer pela carga de juros associada. Então porque não opta por transformar os seus encargos com cartões num crédito pessoal? É um facto que nem sempre é possível e pode não ser fácil, no entanto, as coisas boas não costumam ser fáceis, pois não? Consulte especialistas como o Dicas de Poupança para analisar a sua situação concreta.



5. Consolidação de créditos


Outra alternativa passa pela consolidação de créditos. É uma boa opção para quem quer reduzir o valor global dos seus créditos. Este é um processo mais moroso que envolve a recolha de muita informação e um grande rigor negocial com as instituições financeiras, com as quais o Dicas de Poupança, estabelece protocolos privilegiados. Desta forma, conseguem-se reduções das prestações que podem atingir os 65%! Para entender melhor como funciona a consolidação de créditos, apesar de obter prestações mais baixas irá pagar o crédito durante mais anos. Assim, esta opção, deverá ser usada com algum rigor e não para contrair novos créditos.



6. Renegociação de dívidas


Uma outra alternativa consiste na renegociação de todos os contratos de crédito com as diversas instituições financeiras. É uma opção que demora muito tempo, uma vez que temos de contactar todas as instituições e propor e contrapropor alternativas para reduzir as prestações.


Desta forma, poderá conseguir poupanças até 45% nas prestações mensais e estão acessíveis a todos os clientes de crédito. Inclusive com incumprimentos poderá renegociar as suas dívidas, sendo que em momentos de incumprimento torna-se mais fácil obter a abertura da financeira para renegociação.


É sabido que em circusntâncias de aperto financeiro é tentador aceitar todas as opções que permitam reduzir os seus encargos financeiros. Tenha em consideração que nem todas as alternativas são válidas e que nem todas possam ser as mais favoráveis para o seu caso concreto.


A sugestão do Dicas de Poupança é que faça um rigoroso check-up às suas finanças de modo a perceber qual a melhor opção para si. Maque o seu diagnóstico financeiro e faça um check-up financeiro gratuito com uma equipa de especialistas financeiros.

12 visualizações0 comentário