• Dicas de Poupança

Como funciona o seguro de vida do crédito habitação

Atualizado: Abr 14

Se tem ideia de que o seguro de vida do crédito habitação e o multirriscos, servem apenas para salvaguardar os interesses do banco, está enganado!


















Muito antes pelo contrário, os seguros servem muito mais os interesses dos clientes, do que os do banco. Em boa verdade, é muito mais pesado para um cidadão perder a sua casa, que representa toda a uma vida e que na maior parte das vezes é o seu lar e o da sua família, do que para o banco, que é apenas mais uma casa.


Muitos cidadãos desconhecem a base da necessidade da existência dos seguros, que resulta no próprio fundamento do conceito do seguro. Um seguro existe sempre que há um risco associado e só poderá existir enquanto o risco se mantiver. Além disso, os seguros servem para dar previsibilidade económica e manter o equilíbrio da economia e por consequente o equilíbrio social, facilitar e criar condições para que perdas inesperadas possam ser compensadas e assim dar mais confiança à sociedade, nomeadamente na hora de investir ou arriscar.


Atentemos o seguinte exemplo para melhor percebermos a ideia do funcionamento do seguro:

  • Suponha que tem algum dinheiro disponível e a pessoa que mais ama e em quem confia plenamente precisa urgentemente de dinheiro;

  • Suponha que a quer ajudar, até porque tem a certeza que a pessoa lhe vai devolver o que lhe emprestar;

  • No entanto, acontece um infortúnio e essa pessoa morre. O que vai acontecer ao seu dinheiro? Não o vai receber!

  • Agora suponha que tinha combinado com ela, fazer um seguro de vida em que o beneficiário é quem emprestou o dinheiro, precavendo eventualidades. Resultado? Já vai receber o seu dinheiro!

  • E se a essa pessoa também se preocupar se você vai receber esse dinheiro, em caso de fatalidade? Ambos ficam mais descansados!

Ora, esta é a base do funcionamento do seguro de vida associado ao crédito habitação. Com a diferença que nós não amamos o banco e o banco não nos ama a nós! Então pedimos dinheiro emprestado ao banco, fazemos o seguro e se houver algum acidente ou doença, que me impossibilite de pagar o que devo ao banco a companhia de seguros assegura esse pagamento!


Neste caso, fico descansado que a minha casa e a minha família ficam salvaguardadas, caso aconteça alguma coisa menos positiva. O que as pessoas tendem a pensar é, primeiro, que não lhes acontece nada e segundo, também se acontecer já não estão cá. E a proteção da sua família?


E atenção que quando se fala em seguro de vida, estamos sempre a pensar em caso de morte, ou seja, que só serve em caso de morte. No entanto, não é bem assim, já que um seguro de vida também serve em caso de vida, aqui estamos a falar em caso de invalidez, por que estamos a falar de risco, embora também existam seguros de vida com o objetivo de poupança, como por exemplo os PPR's.


Assim, em jeito de resumo, acerca do funcionamento do seguro de vida do crédito habitação, este é feito aquando da contratação de um crédito habitação, em que nós somos os segurados e o banco é o beneficiário, e em caso de sinistro coberto pela apólice, a companhia de seguros paga ao banco o que ainda devemos do empréstimo que fizemos. Desta forma, o banco não fica com o prejuízo e nós garantimos o nosso património intacto.


O Dicas de Poupança é especializado em mediação de seguros e intermediação de crédito, poderá sempre contar com a nossa ajuda, bem como fazer uma simulação e perceber quanto poderá poupar!

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo